• Press Release
  • |
  • Apr 08, 2019

Alegando a Decrescente Oportunidade para Actuar, os Países em Desenvolvimento Solicitam a Recapitalização do Fundo de Investimento Climático

CIF Action 

WASHINGTON – Em vésperas das Reuniões de Primavera 2019 do Grupo Banco Mundial e do Fundo Monetário Internacional, mais de 30 países em desenvolvimento apelaram à comunidade internacional para a recapitalização do Fundo de Investimento Climático (CIF) em resposta ao agravamento das consequências das alterações climáticas e das enormes lacunas de financiamento para o desenvolvimento hipocarbónico.

Numa declaração conjunta, os ministros que representam as nações na linha da frente das alterações climáticas enviaram o sinal mais claro de sempre de que o CIF é e deverá permanecer uma instituição multilateral central na arquitectura do financiamento do clima global. A solução das migrações em massa, das maiores taxas de pobreza e de outros impactos climáticos, disseram, exige um “investimento significativo” do CIF e seus parceiros em áreas que cobrem a resiliência, transição e acesso à energia, gestão do uso da terra e cidades sustentáveis.

A mobilização de fundos para uma acção climática é um desafio de desenvolvimento crucial e uma oportunidade económica de vários biliões de dólares. É vital colmatar a crescente lacuna do financiamento do clima para se poder apoiar os países em desenvolvimento a atingirem os respectivos objectivos de desenvolvimento sustentável, evitarem uma catástrofe climática global e aproveitarem os benefícios de uma nova economia climática. É também uma área prioritária do Secretário-Geral António Guterres para a Cimeira do Clima em Setembro deste ano.

“É agora o momento— não amanhã, não na próxima semana— de canalizar toda a nossa energia, todo o nosso engenho e todos os nossos recursos para travar esta crise. Com a sua declaração de hoje, os países em desenvolvimento reconhecem de forma inequívoca que o CIF é um meio essencial para este fim”, afirmou a Presidente do CIF, Mafalda Duarte.

As Honduras, Níger, Vietname, Tajiquistão e outros subscritores enalteceram a abordagem testada e comprovada para o financiamento do clima. Ressaltaram a necessidade de aproveitar as suas vantagens comparativas e as dos fundos climáticos multilaterais complementares, incluindo o Fundo Verde para o Clima, para promover um desenvolvimento resiliente e hipocarbónico onde este é mais necessário: nos países de baixo e médio rendimento.

Celebrando os mais de dez anos de acção climática, o financiamento CIF está a libertar mais de USD 55 mil milhões em investimentos relacionados com as alterações climáticas em 72 países. Estes esforços concretizaram centenas de programas e projectos transformacionais, que teriam sido impossíveis sem as taxas abaixo do mercado do CIF e um pacífico capital que absorve os riscos. Em todo o mundo, iniciativas financiadas pelo CIF estão a apoiar 26.5 gigawatts de capacidade em energia limpa, o acesso melhorado à energia para 8,5 milhões de pessoas e mais de 300 000 negócios, resiliência climática reforçada para 45 milhões de pessoas e 44 000 negócios e 36 milhões de hectares de florestas mais sustentáveis.

Estes esforços vão desde o desenvolvimento de novas ferramentas financeiras para aumentar a eficiência energética na Turquia, a assegurar meios de subsistência resilientes ao clima no Níger, à construção da maior central de energia solar concentrada em Marrocos. As parcerias CIF estão a ajudar indústrias de energia limpa no Chile, Índia, Nepal e Gana, criando empregos e esperança para os jovens empreendedores nas economias emergentes. Acresce que as lições tiradas de mais de 300 empreendimentos apoiados pelo CIF estão constantemente a definir o padrão para o envolvimento dos intervenientes, governação, transparência e responsabilização de instituições financeiras idênticas nos sectores público e privado.    

As decisões climáticas que tomamos agora terão implicações duradouras para a nossa geração e as vindouras. Estamos perante uma janela de oportunidade que se está a fechar para pôr em prática as transições sem precedentes em matéria de uso da terra, indústria, energia, transportes e desenvolvimento urbano, necessárias para se criar um mundo mais resiliente.

Com o financiamento adequado, o CIF pode continuar a impulsionar a fronteira do financiamento climático em todo o mundo, servindo de parceiro de eleição para promover mudanças em mercados, tecnologias, instituições e comportamentos. O CIF está pronto para continuar a contribuir para um futuro mais limpo, mais próspero e mais sustentável para todos. .
 

Acerca do CIF
Completando mais de dez anos de acção climática, os USD 8 300 milhões do Fundo de Investimento Climático representam o maior instrumento multilateral de financiamento do clima no mundo. O CIF atribui fundos aos países em desenvolvimento para financiamento de um desenvolvimento resiliente ao clima e hipocarbónico. Estas subvenções, empréstimos com condições favorecidas, instrumentos de mitigação de riscos e alavancagem de capitais próprios do sector privado, bancos multilaterais de desenvolvimento (MDB) e outras fontes, obtêm um financiamento considerável do sector privado, bancos multilaterais de desenvolvimento (MDB) e de outras fontes. Cinco MDB — Banco Africano de Desenvolvimento (BAfD), Banco Asiático de Desenvolvimento (BAsD), Banco Europeu para a Reconstrução e Desenvolvimento (BERD), Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e Grupo Banco Mundial (GBM) — implementam projectos e programas financiados pelo CIF.

 

Contacto com a comunicação social
Scott Vincent Andrews
E: sandrews3@worldbank.org 
T: +1 (202) 290-5722